No dia a dia, são inúmeros os desafios enfrentados pelas indústrias farmacêuticas para driblar a concorrência.

Para se sobressair, é preciso estar atento às necessidades dos médicos, manter bom relacionamento e o alto índice de prescrição dos medicamentos, atender a área de compliance e definir uma estratégia de visitação médica virtual assertiva para cobrir um painel médico consistente.

Se todas essas etapas não forem muito bem planejadas e executadas, com certeza será uma grande oportunidade para o concorrente ganhar mercado.

 

Mas qual a melhor maneira de estruturar um programa de relacionamento com esses públicos?

Quando falamos de relacionamento médico, é preciso levar em consideração pontos como:

  • Tamanho do painel de médicos: se a sua indústria tem um painel composto por um grande número de profissionais da saúde, é preciso usar critérios de classificação para definir a melhor estratégia de abordagem para cada um dos diferentes perfis.
  • Localização dos consultórios: a pulverização dos consultórios médicos é outro ponto que precisa ser analisado com atenção na hora de montar um programa de relacionamento médico. Os locais mais distantes e fora de rota podem contar, por exemplo, com estratégias de visitação virtual e contatos telefônicos com uma equipe especializada.
  • Objetivo da visitação médica: criar um planejamento da visitação médica faz toda a diferença para garantir o sucesso da estratégia. Por isso, defina como será a abordagem feita para cada perfil médico antes da visita ou contato.
  • Estratégia de fidelização e engajamento: desenhe programas de relacionamento para os médicos. São eles que vão facilitar os contatos virtuais e agregar valor no relacionamento.

 

No caso do relacionamento com os pacientes, os principais desafios estão relacionados a:

  • Garantir a adesão ao tratamento: um bom programa de pacientes faz com que seja reduzido o índice de abandono ao tratamento. 
  • Engajá-lo no tratamento: é fundamental manter um programa ativo, apoiado pelo envio de materiais esclarecedores e ações de assistência sobre o tratamento. É dessa forma que o paciente vai se sentir seguro em continuar usando a medicação.
  • Orientar sobre o uso correto da medicação: Trace estratégias inteligentes para orientar constantemente o paciente sobre o uso da medicação. A estruturação de uma Central de Relacionamento é uma boa pedida.

 

 

Seja assertivo na estratégia de relacionamento

A melhor maneira de estruturar programas de relacionamento eficientes com cada um desses públicos é usando soluções que garantam a adesão, suporte e geração de demanda, possibilitando melhor gerenciamento e controle de processos comerciais. E tudo isso pode ser feito com terceirização da estratégia com um especialista.

O Grupo InterPlayers, por exemplo, tem como objetivo trabalhar com foco nas necessidades específicas de cada indústria e elaborar estratégias diferenciadas, de acordo com os perfis de médicos e pacientes para cada ação. E isso é possível porque conta com uma unidade de relacionamento que promove e explora os canais de relacionamento com os públicos de forma estruturada e sempre respeitando as regras dos laboratórios e as exigências da Anvisa.

 

Por que vale a pena terceirizar?

Um dos grandes benefícios em contar com a expertise de um parceiro especializado na implementação de programas de relacionamento é que ele vai ajudar sua indústria a explorar os canais de relacionamento com médicos e outros profissionais da saúde, de forma a informar, educar e fidelizar estes players, estimulando a prescrição e a geração de demanda continuamente.

No caso dos pacientes, é possível assegurar que eles tenham mais chance de sucesso terapêutico por meio de suporte especializado em saúde, com time multidisciplinar de médicos, enfermeiros, nutricionistas e educadores físicos com atendimento via Contact Center e domiciliar.

Quer saber mais sobre os nossos programas de relacionamentos com médicos e pacientes? Entre em contato conosco.