Mais do que conseguir a adesão de um paciente ao programa de tratamento, um dos grandes desafios das equipes de produtos e marketing da indústria farmacêutica é manter esse público engajado.

Diversos são os motivos que aumentam o índice de abandono ao tratamento, como a falta de informações sobre o uso correto do medicamento, a indisponibilidade do medicamento no PDV e até mesmo a sensação de não alcançar resultado esperado.

 

O que essas situações nos mostram?

Simples. Se a sua indústria tem certa dificuldade de manter um bom relacionamento com o paciente é provável que não esteja fazendo o uso mais assertivo dos programas de relacionamento com o paciente.

 

Muito além do desconto

Aplicar a política de programas de desconto é uma tática muito usada pela indústria e que gera um bom resultado inicial. Mas não é o suficiente para fidelizar o paciente. Sem um acompanhamento constante e um relacionamento próximo, o risco de abandono do programa ou do mal uso do medicamento é alto.

E isso ocorre por um motivo básico: o paciente que usa  um medicamento de uso contínuo ou faz parte de uma terapia mais severa precisa ter um atendimento personalizado e, consequentemente, uma assistência por parte da indústria. Esse tratamento exige uma orientação mais próxima como oferecer dicas sobre o uso do medicamento e até mesmo como conviver presencialmente com seu problema de saúde, no caso de uma ação como o Home Care.

 

Esteja próximo do paciente

Isso não quer dizer que você deva abrir mão de política de descontos! Esta continua sendo um bom caminho. Mas traçar uma estratégia conjunta: desconto + assistência é o ideal em alguns casos.

Por exemplo, você pode criar um serviço em que fornece informações sobre quais exercícios físicos e dieta nutritiva enviando materiais regulares de apoio, ter o apoio de uma Central de Relacionamento para sanar as dúvidas mais comuns dos pacientes mais comuns, entre outras ações.

 

Atendimento e acompanhamento personalizados e constantes

Os resultados são muito positivos. Um importante laboratório  que nós do Grupo InterPlayers atendemos começou a notar que as vendas de uma pomada específica para tratar lesões pré-cancerígenas não estavam alcançando o resultado esperado. Normalmente, grande parte dos usuários ficam com hematomas depois de utilizar esse medicamento e isso fazia com que as pessoas parecem de usá-los depois da primeira aplicação.

 

 

Para reverter esse cenário, ajudamos a indústria a estruturar uma Central de Relacionamento especializada para esclarecer esse tipo de caso, o que fez com que a situação fosse revertida a tempo.

Um cuidado similar pode ser usado, por exemplo, no caso do uso do home care como ação de relacionamento. Um outro grande case que temos em relação ao relacionamento estruturado com o paciente foi quando uma indústria implementou o acompanhamento do paciente em casa, após ser desospitalizado, para garantir que sua nutrição continuasse sendo feito de maneira adequada durante o tratamento – já que essa era a condição essencial para o sucesso da terapia.

Um ponto importante é lembrar que todas as estratégias de relacionamento com o paciente devem sempre seguir as regras de compliance das indústrias farmacêuticas.

Inovar os programas de relacionamento é uma medida fundamental para diminuir o índice de abandono e manter o cliente fidelizado. Pense nisso e adote o modelo ideal para seu laboratório.