O tema terceirização de mão de obra durante muito tempo foi visto com cautela pelo mercado em geral. Do ponto de vista jurídico, as empresas tinham receio em terceirizar o trabalho frente ao risco de passivo trabalhista previsto por lei. Afinal, a lei era clara ao não permitir a terceirização da atividade-fim de um negócio.

Por uma questão de compliance, muitas empresas, incluindo as  indústrias farmacêuticas, tinham receio da contratação de uma equipe terceirizada para projetos de entrada ou sazonais. Muitas vezes, sem dispor de verba para aumentar o headcount, as empresas não conseguiam autorização para contratar pessoas, fosse para atender uma demanda pontual, ou produto de entrada, o que refletia em prejuízo ou gastos excessivos.

 

Mas o cenário mudou

No dia 31 de março deste ano, o governo aprovou a lei a favor da terceirização da mão de obra, pela qual regulamenta a prestação de trabalho temporário, permitindo a terceirização de qualquer tipo de atividade, seja ela meio ou fim.

Com isso, as empresas passaram a ter mais liberdade para os contratos temporários, sem risco trabalhista e caracterização de fraude na legislação – desde que atenda aos requisitos legais, como a não subordinação, por exemplo.

Um dos importantes benefícios com a aprovação dessa lei é ampliação do período de uso da mão de obra temporária. Antes, era permitido fazer um contrato de 90 dias, que poderia ser prorrogado por mais 90 dias.

A partir da publicação da nova lei, o contrato de temporário pode ser de 180 dias e estendido por mais 90 dias, totalizando 270 dias.

 

Vantagens para projetos sazonais ou temporários

Se a indústria está programando realizar uma campanha sazonal de protetor solar ou testar um novo produto, ele pode se planejar para contratar uma equipe de trade marketing temporária e ter custos e riscos menores para este projeto, além de resultados mais assertivos e menos burocracia no processo.

Além disso, como a equipe não tem vínculo empregatício, ao final do contrato não é preciso se preocupar com as indenizações previstas na lei para contratos de CLT. Todas essas responsabilidades ficam a cargo da empresa prestadora de mão de obra.

 

Outros ganhos para a indústria farmacêutica

Equipe especializada: a indústria passa a contar com uma equipe de profissionais completamente treinados e com expertise no seu mercado de atuação.

É possível viabilizar a operação de acordo com a necessidade de execução e ampliação da presença e cobertura no painel. Isso tudo por meio da atuação de equipes dedicadas ou compartilhadas, com o perfil e a capacitação mais adequada ao tipo de execução em campo ou interna.

Assim, a execução das ações de PDV será desenvolvida com total sintonia às estratégias comerciais e de trade da sua indústria, sejam elas na forma de visitas, treinamentos, ações de merchandising no PDV, materiais promocionais, etc.

Canais de relacionamento: a possibilidade de explorar todo o potencial dos canais de relacionamento da sua indústria é outra vantagem. Você pode contar  com a estratégia de apoio de uma central de Contact Center para se relacionar com os PDVs mais distantes, porém importantes, e cobrir todo o painel de relevância para o seu negócio, com menor custo e mais abrangência.

Gestão do resultado mais ágil e qualidade no serviço prestado: um outro ganho importante é que você poderá focar na gestão de resultados de forma mais ágil, já que os processos não estarão sob a gestão da empresa e a qualidade deve ser garantida pelo prestador de serviço ou empresa contratada.

Consultoria: ao contar com uma equipe com experiência na área, seu laboratório passa a ter o perfil de PDV constantemente renovado. A consultoria de um prestador de serviço que já realizou uma grande quantidade de programas relevantes em PDVs faz  toda a diferença para orientá-lo sobre qual PDV cabe um projeto ou não.

Além disso, ele também vai lhe apresentar as soluções que devem ser usadas para aumentar o potencial de penetração dos seus produtos nos pontos de vendas adequados, de forma a gastar menos e aumentar a capilaridade no mercado de saúde e bem-estar.

Custos: com o apoio da terceirização, a indústria ainda reduzirá custos, já que todas despesas com o colaborador são de responsabilidade da empresa fornecedora do serviço.

 

Como escolher um parceiro certo?

Para usufruir dos benefícios com a terceirização de equipe é importantíssimo contar com o apoio de um parceiro preparado e com expertise no seu mercado de  atuação. Somente um fornecedor full provider vai lhe apresentar estratégias que contemplem soluções completas que vão além do convencional.

Assim, o planejamento do trabalho em campo vai ser definido de acordo com a necessidade de cada indústria. Algumas empresas já possuem um painel pronto e querem que o fornecedor atenda essa demanda. Porém, ao realizar um trabalho de consultoria, muitas vezes, o fornecedor com expertise na área pode apresentar uma solução diferente, como a conectividade e os projetos de televendas, e ajudar a indústria a redefinir e otimizar o perfil do painel.

Você pode contar, por exemplo, com o uso de uma ferramenta de geolocalização que consegue identificar os PDVs importantes de serem atendidos, mas que não justificam o investimento em uma equipe presencial. Dependendo do caso, é recomendado até um plano de visitação customizado para cada perfil de painel.

O fundamental é escolher um parceiro que desenvolva um diferencial estratégico para sua indústria e trace um programa de trade marketing que traga os resultados esperados.

E o melhor: agora você pode contar com nosso apoio também para a contratação da equipe terceirizada, ficando sob nossa responsabilidade a entrega de estratégias e atendimento especializado para atingir sua meta.